História de Luta

Filiada ao PT desde 1989, Gleisi Hoffmann iniciou sua trajetória militante no movimento estudantil. Foi dirigente da União Metropolitana dos Estudantes Secundaristas em Curitiba e da União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (UBES).

Gleisi é formada em Direito e tem especialização em Gestão de Organizações Públicas e Administração Financeira.

Foi secretária de Estado no Mato Grosso do Sul e secretária de Gestão Pública no município de Londrina (PR).

Também integrou, em 2002, a equipe de transição de governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, ao lado da então ministra Dilma Rousseff.

No primeiro governo Lula, Gleisi assumiu a Diretoria Financeira da Itaipu Binacional, onde implementou medidas de caráter estruturante na empresa, como o conceito de gestão integrada de todos os sistemas financeiros de Itaipu, a adoção do pregão eletrônico para aquisições, valorizando a economicidade das tarifas.

Durante esse período, Gleisi contribuiu para o desenvolvimento de vários projetos de cunho social, como a Casa Abrigo de Foz do Iguaçu que acolhem mulheres vítimas de violência doméstica e seus dependentes, o programa Saúde na Fronteira e o setor de Responsabilidade Social da empresa.

Entre 2008 e 2009, presidiu o diretório estadual do PT no Paraná e em 2010 foi eleita senadora pelo estado, alcançando a marca de ser a primeira mulher eleita para o Senado no Paraná.

Como senadora, Gleisi sempre colocou os direitos das mulheres entre suas prioridades legislativas.

Das matérias apresentadas por ela, estão a proposta que viabiliza a aposentadoria das donas de casa, a reserva de 50% das vagas nos parlamentos para as mulheres e a que assegura a abertura de processo contra agressores de mulheres, sem necessidade que a vítima preste queixa.

Porém, o projeto mais comentado de Gleisi, aprovado em 2013, é o que extinguiu o pagamento de 14º e 15º salários aos senadores e deputados federais.

Ao longo de 2016, Gleisi presidiu a importante Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado. Em fevereiro de 2017 foi eleita por unanimidade pela Bancada do PT para a função de líder dos senadores da legenda na Casa. Em junho de 2017 foi eleita presidenta nacional do Partido dos Trabalhadores e em outubro de 2018, eleita deputada federal pela legenda.

Em 2019 assume a cadeira na Câmara Federal como representante do Paraná. É reeleita para a presidência nacional do Partido dos Trabalhadores pelo período de quatro anos.

Trajetória

Preloader
  • 1984

    Aos 22 anos, iniciou a trajetória militante no movimento estudantil. Foi dirigente da União Metropolitana dos Estudantes Secundaristas em Curitiba e da União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (UBES).

  • 1988

    Foi assessora parlamentar na Câmara de Curitiba, onde trabalhou junto aos movimentos populares e associações de bairros e participou ativamente da construção da Lei Orgânica de Curitiba.

  • 1989

    Filiou-se ao PT.

  • 1999

    Atuou como secretária de Reestruturação Administrativa no Mato Grosso do Sul.

  • 2001

    Assumiu a Secretaria de Gestão Pública da Prefeitura de Londrina.

  • 2002

    Integrou a equipe de transição de governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, ao lado da então ministra Dilma Rousseff.

  • 2003

    Assumiu a Diretoria Financeira da Itaipu Binacional, onde implementou medidas de caráter estruturante na empresa, como o conceito de gestão integrada de todos os sistemas financeiros de Itaipu, a adoção do pregão eletrônico para aquisições, valorizando a economicidade das tarifas.

  • 2008 e 2009

    Presidiu o diretório estadual do PT no Paraná.

  • 2010

    Foi eleita senadora pelo estado, com 3.196.468 votos, alcançando a marca de ser a primeira mulher eleita para o Senado no Paraná.

  • 2011

    É convidada pela presidenta Dilma Rousseff para assumir a chefia da Casa Civil da Presidência da República.

  • 2014

    Reassume sua cadeira no Senado Federal.

  • 2016

    Presidiu a importante Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado.

  • 2017

    Foi eleita por unanimidade pela Bancada do PT para a função de líder dos senadores da legenda na Casa. Ainda nesse ano, foi eleita para a presidência do partido, cargo que ocupará pelo período de dois anos.

  • 2018

    Lidera a luta pela libertação de Lula e o direito do povo brasileiro votar em quem desejar. Em 2018, foi eleita deputada federal pelo Partido dos Trabalhadores.