É do PT: Aprovada prioridade para gestantes e lactantes na vacinação

Foto: Eduardo Matysiak

09 jul: É do PT: Aprovada prioridade para gestantes e lactantes na vacinação

O plenário da Câmara aprovou nesta quinta-feira, em votação simbólica, o projeto de lei (PL 2112/21), do senador Jean Paul Prates (PT-RN), que determina a inclusão de gestantes, puérperas e lactantes no quadro de grupos prioritários da campanha de vacinação contra a Covid-19. Pelo texto aprovado, que segue para sanção presidencial, crianças e adolescentes com deficiência permanente ou com comorbidade e adolescentes privados de liberdade também serão incluídos como prioritários no plano de imunização.

A vacinação das crianças e adolescentes, no entanto, depende de registro ou autorização de uso emergencial de vacinas no Brasil para pessoas com menos de 18 anos. Atualmente, a vacina da Pfizer/BioNTech é a única liberada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para aplicação em adolescentes com mais de 12 anos.

A deputada Gleisi Hoffmann (PT-PR) é coautora do projeto e comemorou a aprovação. “Feliz de fazer parte de mais essa importante conquista do PT no Congresso Nacional e dos partidos de oposição.  Faremos pressão para Bolsonaro sancionar imediatamente”, destacou.

Vestida com a camiseta do movimento “Lactantes pela Vida”, que uniu deputadas e integrantes da sociedade civil em defesa da proposta, a deputada Erika Kokay (PT-DF) encaminhou o voto favorável da Bancada do PT. “Faço essa homenagem muito especial a este movimento que adentra a esta Casa, neste dia de hoje, mas que adentrou antes, com a sua capacidade de luta. Lactantes pela Vacina é um movimento por nossos bebês, por nossos meninos e meninas. É um movimento de uma profunda generosidade, a coragem destas mães lactantes fez com que fossem a todos os lugares para dizer: ‘nos escutem, rompamos uma invisibilização provocada por uma ausência de posição do governo’ que, desde o início, deveria ter considerado lactantes como prioridade no processo de imunização”, afirmou.

Erika Kokay reforçou a importância de priorizar as lactantes na lista de prioridades, enfatizando que a amamentação é que vai levar à imunização bebes, “que são prioridade absoluta no nosso País”. Sobre a inclusão de grávidas, puérperas, a deputada argumentou que o Brasil tem um percentual de mortes de grávidas bastante superior ao percentual de morte do conjunto da população brasileira.

Por Vânia Rodrigues